Ameaça e censura em sessão na câmera de vereadores.


O vereador Sérgio Moreira sofre ameaça de morte na câmara de vereadores!
Em mais um episódio de golpe contra a democracia a câmara de vereadores de Serra Preta vive momentos de descaso e descontrole. Ha quem diga que é a pior dos últimos tempos.
O golpe dessa vez foi para impedir que o vereador Moreira pudesse filmar a sua fala para realizar trabalho promocional. Numa atitude antidemocrática e ilegal o presidente Gilson do Tingui foi orientado pelo assessor parlamentar, Edmílson, a impedir que a equipe realizasse a filmagem. Após os próprios vereadores terem derrubado a lei que proibia filmar, gravar e fotografar. Como o presidente nunca se manifesta sobre o tema em debate, orientou o assessor justificar o injustificável.
Se sentindo coibida, a equipe não realizou a filmagem. Moreira filmou do seu próprio celular imagens dos vereadores e da fala do assessor parlamentar. Essa ação do vereador causou uma fúria em alguns vereadores que têm receio que seus atos e ações públicas sejam veiculadas para a população. Além disso o vereador Sérgio Moreira sofreu ameaça de morte durante a sessão por essa ação.
"Cada um usa a sua imagem pública como quiser e eu fui impedido pela ignorância e pela intolerância. Vou continuar defendendo a democracia e a justiça, eles podem até calar a minha voz, mas, os meus princípios e minha dignidade não". Declara o vereador Sérgio Moreira.
Além de impedirem a gravação, o presidente foi orientado pela assessoria a encerrar a sessão. Os vereadores de oposição apresentaram dois projetos relevantes. Um que obriga o prefeito atender no mínimo 02 dias por semana na prefeitura e outro que proíbe o município receber lixo de outros municípios. Os projetos entrarão na ordem do dia da próxima sessão, se outro golpe não for aplicado.

Fonte: Pagina de Sergio Moreira em Rede Social.

Postagens mais visitadas deste blog

Tio mata sobrinho a pauladas após discussão

Polícia prende suspeita de envolvimento na morte de empresário da Telexfree

Recurso ao TJBA objetiva bloquear R$ 11 milhões do Município de Serra Preta, ativo financeiro é oriundo da União em pagamento de precatório e não consta no orçamento municipal de 2016