Vereador Magno Também mostra sua indignação com o acontecido em sua pagina em rede social.

 


RADIOGRAFIA DO LEGISLATIVO: A ÚLTIMA SESSÃO FECHOU COM CHAVE DE OURO A INTOLERÂNCIA E INCOMPETÊNCIA QUE REINOU NO PRIMEIRO ANO!

HOJE, NA ÚLTIMA SESSÃO DO ANO, A MAIORIA DOS VEREADORES DECIDIRAM RETIRAR A RESOLUÇÃO QUE PROÍBE FILMAGENS, FOTOS E GRAVAÇÕES DURANTE AS SESSÕES NA CÂMARA E A ENTRADA DOS CIDADÃOS COM EQUIPAMENTOS COMO NOTBOOK, FILMADORA E ATÉ MESMO CELULARES.

AO APRESENTARMOS UM SIMPLES REQUERIMENTO, ASSINADO POR SEIS DOS ONZE VEREADORES, RECEBEMOS A NOTÍCIA QUE O DOCUMENTO NÃO SERIA CONSIDERADO NAQUELA SESSÃO, TORNANDO O REGIMENTO INTERNO NULO, UMA VEZ QUE, É CLARA A ORIENTAÇÃO REGIMENTAL QUE UM REQUERIMENTO DEVE SER ACATADO IMEDIATAMENTE. APÓS A TENTATIVA DE CONVERSAS E ORIENTAÇÕES A PARTIR DAS LEIS REGIMENTAIS E A IMPOSIÇÃO DESRESPEITOSA DA DIREÇÃO DO CASA EM NÃO ACATAR O REQUERIMENTO, SEIS VEREADORES DECIDIRAM DEIXAR A SESSÃO COMO FORMA DE PROTESTO PELO DESRESPEITO AOS ATOS LEGISLATIVOS DA CASA.

AINDA NUMA TENTATIVA DE DIÁLOGO E CONSIDERAÇÕES, EU MOSTREI O REGIMENTO INTERNO E PEDI PACIENTEMENTE QUE FOSSE CONSIDERADO O QUE ALI ESTAVA ESCRITO, FOI QUANDO TIVE A INGRATA SURPRESA DE TÊ-LO ARREBATADO DE MINHAS MÃOS POR UM DOS VEREADORES QUE O LANÇOU AO CHÃO DESFERINDO PALAVRAS AGRESSIVAS DE INTOLERÂNCIA E BRUTALIDADE.

FALTOU ASSESSORIA ÉTICA E RESPEITO ÀS LEIS! A FALTA DE INFORMAÇÃO E CONHECIMENTO TÉCNICO QUE É MARCANTE NA DIREÇÃO DA CÂMARA PODERIA SER SUPRIDO, EM PARTE, MAS...

A ÉTICA É PRA TODOS, MAS POUCOS LEVAM A SÉRIO, POR MAIS QUE SEJA UM MOVIMENTO QUASE UNIVERSAL, NEGLIGENCIAR A ÉTICA EM TEMPOS DE INTERNETE E INFORMAÇÕES INSTANTÂNEAS, É CAVAR O PRÓPRIA COVA COM RETROESCAVADEIRA.


Fonte: Pagina do vereador Magno em uma Rede social

Postagens mais visitadas deste blog

Tio mata sobrinho a pauladas após discussão

Polícia prende suspeita de envolvimento na morte de empresário da Telexfree

Recurso ao TJBA objetiva bloquear R$ 11 milhões do Município de Serra Preta, ativo financeiro é oriundo da União em pagamento de precatório e não consta no orçamento municipal de 2016